Formação Continuada para Docentes: uma Proposta de Especialização Em Educação Tecnológica

Maria Esther Provenzano, Simone Regina de Oliveira Ribeiro

Resumo


Esta comunicação trata das possibilidades da formação continuada para docentes da Educação Básica. Tem como referência o Curso de Especialização Lato Sensu em Educação Tecnológica, desenvolvido de forma semipresencial pelo Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca do Rio de Janeiro/CEFET/RJ em parceria com a Fundação Centro de Ciências e Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro/CEDERJ, no âmbito da Universidade Aberta do Brasil (UAB/MEC/CAPES). Foram investigados possibilidades e desafios da formação de professores-cursistas, no ambiente de aprendizagem Moodle, utilizando-se como referenciais teóricos autores que formulam concepções no campo da comunicação, dialogicidade e interatividade em uma perspectiva crítica. Devido a suas especificidades, optamos pela metodologia descritiva, na perspectiva qualitativa. Trata-se de um estudo bibliográfico. Os resultados da pesquisa apontam para a necessidade de formação contínua dos professores, bem como para a importância da Educação a Distância, sobretudo, como forma de interiorizar o acesso aos docentes que atuam fora do centro do Estado do Rio de Janeiro. Concluímos que a formação do professor por meio das Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) vem sendo uma possibilidade de melhoria do ensino e de acesso a níveis mais elevados da carreira.


Palavras-chave


Educação a Distância; Formação Continuada; Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC)

Referências


CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO [CNE]. Estabelece normas para o funcionamento de cursos de pós-graduação lato sensu, em nível de especialização. Resolução CNE/CES n. 1, de 8 de Junho de 2007. Diário Oficial da União, Brasília, 8 de junho de 2007, Seção 1, p. 9. Disponível em: . Acesso em: 14 jan. 2016.

CASTELLS, M. A galáxia da internet: reflexões sobre a internet, os negócios e a sociedade. Tradução Maria Luiza X. A. Borges. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2003.

DOUGIAMAS, M.; TAYLOR, P. MOODLE: usando comunidades de aprendizagem para criar um sistema de fonte aberta de gerenciamento de curso. In: ALVES, L.; BARROS, D.; OKADA, A. (Org.). MOODLE: estratégias pedagógicas e estudos de caso. Salvador: EDUNEB, 2009. p.15-34.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2011.

GIROUX, A. H. Os professores como intelectuais: rumo a uma pedagogia crítica da aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

HOFFMANN, J. Avaliar para promover: as setas do caminho. Porto Alegre: Mediação, 2001.

LÉVY, P. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. Tradução Carlos Irineu da Costa. Rio de Janeiro: Editora 34, 1993.

LÉVY, P. Cibercultura. Tradução Carlos Irineu da Costa. São Paulo: Ed 34, 1999.

MORIN, E. Ciência com consciência. 5. ed. Tradução de Maria D. Alexandre, Maria Alice Sampaio Dória. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

MORIN, E. Meu caminho: entrevistas com Djénane Kareh Tager. Tradução Edgard de Assis Carvalho, Mariza Perassi Bosco. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2010.

PROVENZANO, M. E. Mediação docente: formação continuada de professores no âmbito da educação a distância. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estácio de Sá, Rio de Janeiro, 2013.

RIBEIRO, S. R. O. O gênero digital fórum: a interatividade e a construção de sentidos na Educação. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade do Grande Rio, Rio de Janeiro, 2014.

SANTAELLA, L. Crítica das práticas midiáticas da sociedade de massa. In: PRADO, J. L. A. (Org.). Crítica das práticas midiáticas: da sociedade de massa às ciberculturas. São Paulo: Hacker Editores, 2002. p. 44-56.

SILVA, M. O que é interatividade? Boletim Técnico do Senac. Rio de Janeiro, v. 24, n. 2, p. 27-35,1998.

SILVA, M. Sala de aula interativa. São Paulo: Loyola, 2010.

TARDIF, M.; LESSARD, C. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. 7. ed. Tradução de João Batista Kreuch. Petropólis, RJ: Vozes, 2012.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 InFor

       

InFor - Inovação e Formação - Revista do Núcleo de Educação a Distância da Unesp by IEP³ - Unesp e Reitoria da Unesp is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Todos os direitos reservados ao Instituto de Educação e Pesquisa em Práticas Pedagógicas (IEP³), à Unesp e seus autores.

Based on a work at ojs.ead.unesp.br

infor.nead [arroba] unesp.br

ISSN 2525-3476