O Eixo Articulador Educação Inclusiva e Especial do Curso de Pedagogia Univesp/Unesp: análise quanti-qualitativa

Danielle Aparecida do Nascimento dos Santos, Elisa Tomoe Moriya Schlünzen, Klaus Schlünzen Junior

Resumo


Visando a disseminação da cultura de uso de tecnologias a serviço da educação, estabelecendo redes de formação e construção do conhecimento, para uma escola de qualidade para todos, a Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp), em parceria com a Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp) propôs, de 2009 a 2013, um curso de Licenciatura em Pedagogia semipresencial, voltado a professores da rede em exercício, para a formação nessa licenciatura. O currículo do curso, estruturado em Blocos de Conteúdos, foi composto por Eixos Articuladores, entendidos como disciplinas balizadoras de aspectos transversais aos conteúdos da formação. O Eixo Articulador Educação Inclusiva e Especial foi desenvolvido no segundo bloco do curso, mediante 120 horas. Neste artigo será descrita a avaliação quanti-qualitativa do Eixo Articulador Educação Inclusiva e Especial, considerando a consolidação da abordagem Construcionista, Contextualizada e Significativa (CCS), definida por Schlünzen (2005) e presente na tese de Santos (2014). Com base em um questionário aplicado em formato de amostragem, serão apresentadas as perspectivas dos professores-cursistas em relação às contribuições do Eixo no que se refere ao conhecimento sobre políticas e práticas de inclusão escolar e uso de recursos tecnológicos na elaboração de Planos de Ensino Inclusivos (PEI).


Palavras-chave


Eixo Articulador; Educação Inclusiva e Especial; Análise Quanti-Qualitativa

Referências


ALMEIDA, Maria Elizabeth. Educação, Projetos, Tecnologia e Conhecimento. São Paulo: Proem, 2001.

DOMINGO, José Contreras. Enseñanza, curriculum y profesorado. Madrid: Ed. Akal., 1990.

POPKEWITZ, Thomas S. Paradigm and ideology in educational research: the social functions of the intellectual. New York: The Falme Press, 1984.

SACRISTÁN, José Gimeno; GÓMEZ, Ángel I. Pérez. Compreender e transformar o ensino. Tradução Ernani F. Fonseca Rosa. São Paulo: Artmed, 1998.

SANTOS, Danielle Aparecida do Nascimento dos. A Abordagem Construcionista, Contextualizada e Significativa na Formação de Professores em uma perspectiva Inclusiva. 2014. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente, 2014.

SÃO PAULO (Estado). Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. Curso de Pedagogia Projeto do Curso Ementas e Grade - Parte 1 (2008). São Paulo: Reitoria. Disponível em: . Acesso em: 10 abr. 2015.

SCHLÜNZEN, Elisa Tomoe Moriya. A Tecnologia para inclusão de Pessoas com Necessidades Especiais (PNE). In: PELLANDA, Nize Maria Campos; SCHLÜNZEN, Elisa Tomoe Moriya; SCHLÜNZEN JUNIOR, Klaus (Org.). Inclusão Digital: Tecendo Redes Afetivas/Cognitivas. 1. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2005. v. 1. p. 195-210.

SENGE, Peter et al. Escolas que Aprendem. um guia da quinta disciplina para educadores, pais e todos que se interessam por educação. Porto Alegre: Artmed, 2005.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

VALENTE, José Armando. A espiral da aprendizagem e as Tecnologias da Informação e da Comunicação: repensando conceitos. In: JOLY, M. C. Tecnologia no ensino: implicações para a aprendizagem. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2002.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 InFor

             

InFor - Inovação e Formação - Revista do Núcleo de Educação a Distância da Unesp by IEP3 - Unesp e Reitoria da Unesp is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Todos os direitos reservados ao Instituto de Educação e Pesquisa em Práticas Pedagógicas (IEP3), à Unesp e seus autores.

Based on a work at ojs.ead.unesp.br

infor.iep3 [arroba] unesp.br

ISSN 2525-3476