Influência das relações familiares no desenvolvimento da linguagem do estudante com surdez na Educação de Jovens de Adultos

Elifas Trindade De Paula, Maria Cândida Soares Del-Masso

Resumo


Esta pesquisa teve o objetivo de investigar como o estudante surdo da Educação de Jovens e Adultos (EJA) avalia o uso de Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS pelos membros de sua família como suporte do seu processo de aprendizagem. Participaram da pesquisa cinco (5) estudantes com idade entre 21 e 60 anos que responderam questões abertas sobre a comunicação no contexto familiar e extrafamiliar. Os dados obtidos demonstram que o desconhecimento da língua de sinais limita a comunicação e, consequentemente, o desenvolvimento do estudante surdo. Constatou-se que a escola, ainda que de modo incipiente, oferece oportunidades aos familiares para a aprendizagem da língua de sinais, o que já pode ser
considerado um efeito das políticas públicas implementadas a partir do reconhecimento legal da língua de sinais como natural dos surdos, em 2002. Observou-se ainda que, apesar da baixa adesão aos projetos das famílias envolvidas, notou-se o protagonismo dos surdos na busca de outros espaços para as trocas e comunicações, em especial nas escolas e nas igrejas. Considerando que todos os entrevistados nasceram antes do reconhecimento da LIBRAS como língua natural dos surdos e da implementação de um conjunto de políticas públicas, a pesquisa sugere estudos complementares para avaliar os efeitos dessas políticas e como elas contribuem para o desenvolvimento do estudante surdo.


Palavras-chave


Deficiência Auditiva; LIBRAS; Família.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Pátria educadora: a qualificação do ensino básico como obra de construção nacional. Brasília, 2015. Disponível em: https://www.fe.unicamp.br/patriaeducadora/documento-sae.pdf. Acesso em: 27 dez. 2018.

BRASIL. Programa Gestão da Aprendizagem Escolar - Gestar II. Língua Portuguesa: Caderno de Teoria e Prática 5 - TP5: estilo, coerência e coesão. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/2008/gestar2/lingport/tp5_lingport.pdf Acesso em: 27 dez. 2018.

BRASIL. Decreto nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS, e o art. 18 da Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Brasília/DF, 2005. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Decreto/D5626.htm. Acesso em: 27 dez. 2018.

BRASIL. Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais – LIBRAS. Brasília/DF, 2002. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10436.htm. Acesso em: 27 dez. 2018.

BRASIL. Decreto nº 3.956, de 8 de outubro de 2001. Promulga a Convenção Interamericana para a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra as Pessoas Portadoras de Deficiência. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/guatemala.pdf. Acesso em: 27 mar. 2017.

CARVALHO, R. E. Educação inclusiva: com os pingos nos “is”. Porto Alegre: Mediação 2004.

DAMÁZIO M. F. M. Atendimento educacional especializado: pessoa com surdez. Brasília/DF: SEESP/SEED/MEC, 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/aee_da.pdf. Acesso em: 27 dez. 2018.

DEL-MASSO, M. C. S.; COTTA, M. A. C.; SANTOS, M. A. P. Instrumentos e técnicas de pesquisa. 2017. Trata-se do texto 1 da disciplina 9 do curso de Especialização em Educação Especial com ênfase em Deficiência Auditiva/Surdez - NEaD/Unesp/SMESP. Acesso restrito. Disponível em: https://edutec.unesp.br/moodle/pluginfile.php/107919/mod_resource/content/18/index.html#. Acesso em: 27 dez. 2018.

ENGELS, F. O Papel do Trabalho na Transformação do Macaco em Homem. 1. ed. Traduzido do espanhol. Neue Zeit, 1896. (Transcrição de: amavelmente cedia por “O Vermelho” para Marxists Internet Archive, 2004. HTML por José Braz para Marxists Internet Archive, 2004. Disponível em: http://www.marxists.org/portugues/marx/1876/mes/macaco.htm. Acesso em: 27 dez. 2018.

FERNANDES, E. Surdez e bilinguismo. Porto Alegre: Mediação 2010.

FIGUEIRA, A. S. Material de Apoio para o aprendizado de LIBRAS. São Paulo: Phorte, 2011.

IASI, M. L. Ensaios sobre consciência e emancipação. São Paulo: Expressão Popular, 2007.

KYLE, J. O ambiente Bilingue: Alguns comentários sobre o desenvolvimento do bilinguismo para os surdos. In: SKLIAR, Carlos. Atualidade da educação bilíngue para surdo: processos e projetos pedagógicos. Porto Alegre: Mediação 1999. p. 15-26.

LACERDA, C. B. F. Surdez e Linguagem: Alguns Apontamento. São Paulo: AVA Moodle Unesp [Edutec], 2016. Trata-se do texto 1 da disciplina 5 do curso de Especialização em Educação Especial com ênfase em Deficiência Auditiva/Surdez - NEaD/Unesp/SMESP. Acesso restrito. Disponível em: https://goo.gl/NChtSa. Acesso em: 27 dez. 2018.

LA TAILLE, Y. Piaget, Vygotsky e Wallon: teorias psicogenéticas em discussão. São Paulo: Summus. 1992.

LURIA, A. R. A construção da mente. 2. ed. São Paulo: Ícone, 2015.

LURIA, A. R. Pensamento e linguagem: as últimas conferências de Luria. Tradução de Diana Myrian Lichtenstein e Mário Corso. Porto Alegre: Artes Médicas, 1986.

NADER, J. M. V; NOVAES-PINTO, R. C. Aquisição tardia de linguagem e desenvolvimento cognitivo do surdo. Estudos Linguísticos, São Paulo, n. 40 v. 2, p. 929-943, mai-ago. 2011.

MAROSTEGA, V. L.; SANTOS, Â. N. A influência da comunicação que envolve família-filho-escola no processo de desenvolvimento e aprendizagem do sujeito surdo. Revista Educação Especial, Santa Maria, n. 28, p. 265-274, nov. 2011. ISSN 1984-686X. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/educacaoespecial/article/view/4301. Acesso em: 27 dez. 2018.

PLATÃO. A República. São Paulo: Nova Cultural, 1997.

ROUSSEAU, J. J. Emilio, ou, Da educação. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

SKLIAR, C. Atualidade da educação bilíngue para surdo: processos e projetos pedagógicos. Porto Alegre: Mediação 1999.

SKLIAR, C. A surdez: um olhar sobre as diferenças. 2. ed. Porto Alegre: 2001.

STELLING, E. P.; STELLING, L. F. P.; TORRES, E. M. S.; CASTRO, H. C. Pais ouvintes e filho surdo: dificuldades de comunicação e necessidade de orientação familiar. Espaço, Rio de Janeiro, n. 42, jul./dez. 2014.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 7. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

VYGOTSKI, L. S. Obras escogidas: Fundamentos de defectología. Madri, Cofás Móstoles, 2012. (Tomo 5).

VYGOTSKY, L. S. Pensamento e linguagem. 4. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

VYGOTSKY, L. S. Linguagem, Desenvolvimento e Aprendizagem. São Paulo: Ícone, 2016.

WALLON, H. A evolução psicológica da criança. São Paulo: Martins Fontes, 2007.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 InFor

       

InFor - Inovação e Formação - Revista do Núcleo de Educação a Distância da Unesp by NEaD/Unesp e Vice-Reitoria da Unesp is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Todos os direitos reservados ao NEaD, à Unesp e seus autores.

Based on a work at ojs.ead.unesp.br

infor.nead@unesp.br

ISSN 2525-3476