A Escola e a Ética da Diferença

Fernando José de Almeida

Resumo


As questões postas à escola, que incluem o respeito à diversidade e à diferença como seu real compromisso, fazem dela uma escola nova. A ética dessa escola, que passa pelo compromisso e pelas práticas de atendimento ao diferente, não se constrói espontaneamente. Trava-se em seu interior uma disputa de espaço e de renovação curricular. Aí, a participação de todos é parte da construção desta hegemonia de um novo conceito de escola. Tais movimentos acontecem também em outros setores da sociedade, como os da arquitetura, os da empregabilidade, os da tecnologia assistiva e os das múltiplas culturas. Este artigo percorre o caminho da Filosofia do Outro, marcando as lutas da história recente, dos últimos 50 anos do século XX e o primeiro lustro do XXI, para chegar a seus impactos na escola pública brasileira, destacando duas experiências havidas na escola pública da cidade de São Paulo, no período de 2013-2015. As suas principais conquistas passam pela construção de metas de governo, pelo aparelhamento físico e pela ampliação de pessoal de atendimento, assim como pelos programas de formação teórico-práticos, a partir de parcerias e do debate social. O currículo escolar é o espaço de disputa destas conquistas, lentas, fundamentadas e avaliadas constantemente pela comunidade.


Palavras-chave


Educação inclusiva; Currículo; Ética; O Outro; Escola pública

Referências


ALMEIDA, F. J. Políticas públicas de inclusão de minorias e maiorias. In: LODI, A. C. et al. Letramento e Minorias. 5. ed. Porto Alegre: Mediação, 2011.

DUSSEL, E. Ética da Libertação na idade de globalização e da exclusão. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

LÉVINAS, E. Totalidade e infinito. Lisboa: Edições 70, 1988.

LÉVINAS, E. Ética e infinito. Lisboa: Edições 70, 1982.

LÉVINAS, E. Entre nós: ensaios sobre a alteridade. Petrópolis: Vozes, 1997.

MORI, K. G. A solidariedade como prática educativa. 2013. 226 f. Tese (Doutorado em Educação: Currículo) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2013.

RIOS, T. A. Ética e competência. São Paulo: Cortez, 1993.

SANTOS, B. S. O todo é igual a cada uma das partes. Revista Crítica de Ciências Sociais, Coimbra, n. 53, p. 5-14, fev. 1999.

SANTOS, B. S. (Org.). Democratizar a democracia: os caminhos da democracia participativa. 3. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

SANTOS, B. S. Para um novo senso comum: a ciência, o direito e a política na transição paradigmática. In: SANTOS, B. S. A crítica da razão indolente: contra o desperdício da experiência. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2009.

SANTOS, B. S. Pela mão de Alice: O social e o político na pós-modernidade. São Paulo: Cortez, 2010.

SANTOS, B. S. Renovar a teoria crítica e reinventar a emancipação social. São Paulo: Boitempo, 2007.

SÃO PAULO (Município). Decreto nº 54.452, de 10 de outubro de 2013. Institui, na Secretaria Municipal de Educação, o Programa de Reorganização Curricular e Administrativa, Ampliação e Fortalecimento da Rede Municipal de Ensino – Mais Educação São Paulo. Diário Oficial da Cidade de São Paulo, São Paulo, ano 58, n. 194, p. 1, out. 2013. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 InFor

             

InFor - Inovação e Formação - Revista do Núcleo de Educação a Distância da Unesp by IEP3 - Unesp e Reitoria da Unesp is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Todos os direitos reservados ao Instituto de Educação e Pesquisa em Práticas Pedagógicas (IEP3), à Unesp e seus autores.

Based on a work at ojs.ead.unesp.br

infor.iep3 [arroba] unesp.br

ISSN 2525-3476