A Política Nacional e a Política do estado de Rondônia para Educação Especial: alguns apontamentos

Márcia de Fátima Barbosa Corrêa, Leide Daiana Morais Barbosa, Anna Augusta Sampaio de Oliveira

Resumo


Este estudo teve como objetivo analisar e problematizar a política de Educação Especial em Rondônia, com base na Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Como procedimento metodológico foi utilizada a pesquisa documental. A coleta de dados foi realizada por meio da consulta aos documentos nacionais e os do Estado de Rondônia. A análise dos dados foi realizada considerando algumas categorias: i) conceitualização da Educação Especial e Inclusiva; ii) público-alvo da Educação Especial; iii) avaliação do público-alvo da Educação Especial. Os resultados indicam que a política de Rondônia reproduz a política nacional nos seguintes aspectos: a) não propõe diretrizes para o monitoramento das ações realizadas; b) necessita de mudanças a partir da promulgação de normas que devem considerar a realidade do Estado; e c) há erros conceituais e de implementação e na organização do sistema educacional para inclusão escolar e no próprio Atendimento Educacional Especializado.

Palavras-chave


Educação Especial. Política. Rondônia.

Texto completo:

PDF

Referências


BARBOSA, M. C. Do preferencial ao necessário: o atendimento educacional especializado na escola comum. 2012. 179 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2012.

BRAGAGNOLO, A. L. B. Avaliação em larga escala: participação do aluno público alvo da educação especial. 2017. 105 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução nº 4, de 2 de outubro de 2009. Institui Diretrizes Operacionais para o Atendimento Educacional Especializado na Educação Básica, modalidade Educação Especial. Brasília: MEC/CNE/CEB, 2009. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/rceb004_09.pdf. Acesso em: 21 ago. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: MEC/SEESP, 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=16690-politica-nacional-de-educacao-especial-na-perspectiva-da-educacao-inclusiva-05122014&Itemid=30192. Acesso em: 21 ago. 2020.

BRAUN, P. Uma intervenção colaborativa sobre os processos de ensino e aprendizagem do aluno com deficiência intelectual. 2012. 325 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2012.

BREITENBACH, F.V. Propostas de educação inclusiva dos institutos federais do Estado do Rio Grande do Sul: alguns apontamentos. 2012. 139 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2012.

CELLARD, A. Análise Documental. In: POPART, J. et al. (Org.). A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008. p. 295-316.

CONDE, P. S. Práticas pedagógicas desenvolvidas no atendimento educacional à criança público-alvo da educação especial em uma instituição de educação infantil. 2015. 171 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2015.

DUTRA, C. P. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva de 2008: contexto de criação. In: MANZINI, E. J.; OLIVEIRA, J. P.; GERMANO, G. D. (Org.). Política de e para Educação Especial. Marília: ABPEE, 2018. p.11-29.

FERREIRA, M. C. C.; FERREIRA, J. R. Sobre inclusão, políticas públicas e práticas pedagógicas. In: GÓES, M. C. R.; LAPLANE, A. L. F. (Org.). Políticas e práticas de Educação Inclusiva. 4. ed. rev. Campinas-SP: Autores Associados, 2013. p. 21-48.

HERMES, S. T. Educação especial & educação inclusiva: a emergência da docência inclusiva na escola contemporânea. 2017. 368 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2017.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS [INEP]. Sinopse Estatística da Educação Básica 2008 a 2018. Brasília: INEP, 2019. Disponível em: http://inep.gov.br/sinopses-estatisticas-da-educacao-basica. Acesso em: 21 ago. 2020.

LAPLANE, A. L. F. A inclusão escolar na Inglaterra. In: MENDES, E.G.; ALMEIDA, M.A. (Org.). Das margens ao centro: perspectivas para as políticas e práticas educacionais no contexto da educação especial inclusiva. Araraquara: Junqueira & Marin, 2010. p. 19-30.

LAZERRI, C. Educação inclusiva para alunos com autismo e psicose: das políticas educacionais ao sistema de ensino. 2010. 111 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2010.

MELETTI, S. M. F.; BUENO, J. G. S. O impacto das políticas públicas de escolarização de alunos com deficiência: uma análise dos indicadores sociais no Brasil. Linhas Críticas, Brasília, v. 17, n. 33, p. 367-383, 2011.

MENDES, E. G.; MALHEIROS, C. A. L. Sala de recursos multifuncionais: é possível um serviço “tamanho único” de atendimento educacional especializado? In: MIRANDA, T. G.; GALVÃO FILHO, T. A. (Org.). O professor e a educação inclusiva: formação, práticas e lugares. Salvador: EDUFBA, 2012. p. 349-365.

NASCIMENTO, A. P. Dialogando com as salas de aula comuns e o atendimento educacional especializado: possibilidades, movimentos e tensões. 2013. 227 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2013.

OLIVEIRA, A. A. S. Educação Inclusiva, Educação Especial ou Educação? Entre o existente e o desejado. In: OMOTE, S.; OLIVEIRA, A. A. S.; CHACON, M. C. M. (Org.). Ciência e Conhecimento em Educação Especial. São Carlos: Marquezine & Manzini/ABPEE, 2014.

OLIVEIRA, A. A. S.; OLIVEIRA, J. P. Os desafios para a constituição de uma escola inclusiva: em cena a formação de professores. In: OLIVEIRA, A. A. S.; FONSECA, K. A.; REIS, M. R. (Org.). Formação de professores e práticas educacionais inclusivas, Curitiba-PR. CRV, 2018. p. 13-28.

RONDÔNIA. Portaria nº 1.529/2017-GAB/SEDUC-RO, de 29 de maio de 2017. Estabelece critérios para o Atendimento Educacional Especializado-AEE nas Salas de Recursos Multifuncionais nas Escolas Públicas da Rede Estadual de Ensino, e dá outras providências. Porto Velho-RO: GAB/SEDUC, 2017a. Disponível em: http://www.diof.ro.gov.br/data/uploads/2017/06/Doe-31-_05_2017.pdf. Acesso em: 21 ago. 2020.

RONDÔNIA. Portaria n.377/10-GAB/SEDUC, de 11 de março de 2010. Fixa normas para operacionalização do processo de reclassificação de alunos que apresentam altas habilidade/superdotação, a ser realizado nas escolas da rede pública estadual de ensino, e dá outras providências. Porto Velho-RO: GAB/SEDUC, 2010.

RONDÔNIA. Resolução nº 552/09-CEE/RO, de 27 de abril de 2009. Fixa diretrizes e normas complementares para atendimento à demanda escolar nas etapas e modalidades da Educação Básica, aos alunos que apresentem necessidades educacionais especiais, no Sistema Estadual de Ensino de Rondônia. Porto Velho-RO: CEE/RO, 2009a. Disponível em: http://www.seduc.ro.gov.br/cee/files/cleicey/RESOLUO_n_552-09-CEE-RO_Educ_Especial.pdf. Acesso em: 21 ago. 2020.

RONDÔNIA, Resolução nº 651/09-CEE/RO,de 13 de outubro de 2009. Estabelece normas para operacionalização do processo de reclassificação em alunos que apresentam altas habilidade/superdotação, e dá outras providências. Porto Velho-RO: CEE/RO, 2009b. Disponível em: http://www.seduc.ro.gov.br/cee/files/cleicey/RESOLUO_n_651_09-CEE-RO_altas_habil.pdf. Acesso em: 21 ago. 2020.

ROSA, D. F. Produção do sujeito deficiente no contorno das políticas de educação inclusiva e da formação de professores em educação especial. 2016. 103 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2016.

VELAME, G. A. Estudantes Público-alvo da Educação Especial na Educação em Tempo Integral: um Estudo em Vitória-ES. 2015. 149 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2015.

XAVIER, M. S. Acessibilidade curricular: refletindo sobre conceitos e o trabalho pedagógico. 2018. 93 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2018.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 InFor e autores

             

InFor - Inovação e Formação - Revista do Núcleo de Educação a Distância da Unesp by IEP3 - Unesp e Reitoria da Unesp is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Todos os direitos reservados ao Instituto de Educação e Pesquisa em Práticas Pedagógicas (IEP3), à Unesp e seus autores.

Based on a work at ojs.ead.unesp.br

infor.iep3 [arroba] unesp.br

ISSN 2525-3476