Avaliações Personalizadas Online para alunos público-alvo da Educação Especial: análise qualitativa e da funcionalidade do recurso

Katia de Abreu Fonseca, José Roberto Barboza Junior

Resumo


No processo de escolarização do aluno considerado como público-alvo da Educação Especial (PAEE), um dos conceitos discutidos sobre a prática docente é o da avaliação pedagógica, ou seja, como planejar e desenvolver mecanismos de avaliação que possam demonstrar, quantitativa e qualitativamente, os avanços pedagógicos de alunos com deficiência, transtorno do espectro autista e alta habilidade/superdotação. Como organizar momentos e instrumentos para avaliar a aprendizagem dos conteúdos desenvolvidos na sala de aula do ensino comum? Nesse cenário, foi construído e aplicado um recurso denominado “Avaliações Online Personalizadas” (APOn), utilizando o Google Forms como plataforma para o instrumento de avaliação, através da produção e construção do recurso pedagógico, considerando como referencial teórico o conceito de ajustes curriculares (flexibilidade, adequação e adaptação) como norteadores do processo de produção das avaliações. Esse recurso foi aplicado nas redes municipais de educação, garantindo os preceitos da realização da educação especial na perspectiva da educação inclusiva, na qual todos os alunos, independentemente de serem ou não PAEE, podem ser submetidos aos mesmos critérios de avaliação, apenas com a adequação do recurso de avaliação que considere suas condições sensoriais e cognitivas. Os resultados quantitativos e qualitativos, relativos à funcionalidade dos recursos, foram positivos, o que nos faz pensar que esse recurso é indispensável para uma educação que contemple os princípios da educação inclusiva.

Palavras-chave


Educação Inclusiva. Avaliação. Avaliação Personalizada Online.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério da Educação. Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: MEC/SEESP, 2008. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=16690-politica-nacional-de-educacao-especial-na-perspectiva-da-educacao-inclusiva-05122014&Itemid=30192. Acesso em: 21 ago. 2020.

BACICH, L.; TANZI NETO, A.; TREVISANI, F. M. (Org.). Ensino Híbrido: Personalização e Tecnologia na Educação. Porto Alegre: Penso, 2015.

FONSECA, K. A. Análise de adequações curriculares no ensino fundamental: subsídios para programas de pesquisa colaborativa na formação de professores. 2011. 123 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem) – Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2011.

HADJI, C. Avaliação Desmistificada. Porto Alegre: Artmed, 2001.

HEREDERO, E. S. A escola inclusiva e estratégias para fazer frente a ela: as adaptações curriculares. Acta Scientiarum. Education, Maringá, v. 32, n. 2, p. 193-208, 2010. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/ActaSciEduc/article/view/9772/9772. Acesso em: 27 ago. 2020.

HOFFMANN, J. Avaliação Mediadora: uma prática em construção da pré-escola à universidade. Porto Alegre: Mediação, 2012.

MARTINS, L. M. O desenvolvimento do psiquismo e a educação escolar: contribuições à luz da psicologia histórico-cultural e da pedagogia histórico-crítica. Campinas: Autores Associados, 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 InFor e autores

             

InFor - Inovação e Formação - Revista do Núcleo de Educação a Distância da Unesp by IEP3 - Unesp e Reitoria da Unesp is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Todos os direitos reservados ao Instituto de Educação e Pesquisa em Práticas Pedagógicas (IEP3), à Unesp e seus autores.

Based on a work at ojs.ead.unesp.br

infor.iep3 [arroba] unesp.br

ISSN 2525-3476