Repositórios de objetos de aprendizagem no Ensino de Ciências e Matemática: uma breve análise

Anderson Cangane Pinheiro, Nijima Novello Rumenos, Thaís Cristina Rodrigues Tezani

Resumo


Em virtude das atuais necessidades da educação contemporânea, há o surgimento de recursos didáticos de apoio ao ensino. Os objetos de aprendizagem (OA) podem ser qualquer recurso digital usado com objetivo educacional e como elemento facilitador do processo de ensino e aprendizagem. Devido à importância da área de ensino de Ciências e Matemática é essencial que os professores aos escolherem um OA saibam seu funcionamento, utilização e para qual público de alunos é mais adequado. Para tanto, foram analisados os seguintes repositórios de OA: A Plataforma Currículo +, o Banco Internacional de Objetos Educacionais e a Rived - Unifra, os quais são desenvolvidos e amplamente divulgados por órgãos educacionais. Os repositórios analisados apresentam característica multidisciplinar, abrangem diversos níveis de ensino, além de possuir fácil digitação e localização perante os mecanismos de busca e imagens nítidas. São atrativos e as orientações possibilitam sua fácil recuperação, inclusive pelos próprios alunos. Em relação aos metadados, eles apresentam boas descrições dos OA podendo facilitar a busca pelos professores. Em relação à função pedagógica, os OA analisados possibilitam articulação entre as diversas áreas de conhecimento. Sendo assim, os repositórios analisados são indicados para o trabalho docente.


Palavras-chave


Ensino de Ciências e Matemática; Repositórios; Objetos de Aprendizagem.

Texto completo:

PDF RESUMO03.MP3 COMPLETO03.MP3

Referências


CARNEIRO, M. L F.; SILVEIRA, M. S. Objetos de Aprendizagem como elementos facilitadores na Educação a Distância. Educar em Revista, Editora UFPR, Curitiba, Brasil, Edição Especial n. 4/2014, p. 235-260.

MARGARYAN, A; LITLLEJOHN, A. Communities at cross-purposes: Contradictions in the views of stakeholders of learning object repository systems. In: Proceedings of Australasian Society for Computers in Learning in Tertiary Education (ASCILITE), p. 624-635, 2007.

MOREIRA, M. A; MASINI, E. F. S. Aprendizagem Significativa: a teoria de David Ausubel. São Paulo: Centauro, 2001.

FITZGERALD, M. A. The Gateway to Educational Materials: an evaluation study, 2002.

SABBATINI, M. Reflexões críticas sobre o conceito de objeto de aprendizagem aplicado ao ensino de ciências e matemática. EM TEIA – Revista de Educação Matemática e Tecnológica Iberoamericana. v. 3, n. 3, p. 1-36, 2012.

SANTOS, P. K.; LEITE, L. L. O desenvolvimento de Objetos de Aprendizagem para Educação a Distância ancorados pelas Dimensões da Educação. Educação por escrito. v. 1, n. 1, 2010. Disponível em: < http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/porescrito/issue/view/445> . Acesso em: out. 2016.

SCHWARZELMÜLLER, A. F.; ORNELAS, B. Os objetos digitais e suas utilizações no processo de ensino-aprendizagem. 2007. Disponível em: . Acesso em: out. 2016.

SILVA, E. L.; CAFÉ, L.; CATAPAN, A. H. Objetos educacionais, os metadados e os repostórios na sociedade da informação. Ci. Inf., Brasília, DF, v. 39 n. 3, p.93-104, set./dez., 2010.

ZABALA, A. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 InFor

    

InFor - Inovação e Formação - Revista do Núcleo de Educação a Distância da Unesp by NEaD/Unesp e Vice-Reitoria da Unesp is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Todos os direitos reservados ao NEaD, à Unesp e seus autores.

Based on a work at ojs.ead.unesp.br

infor@nead.unesp.br

ISSN 2525-3476